22.5 C
Brasília
Home Brasília Boletim da Codeplan constata que reabertura de parte do comércio não alterou...

Boletim da Codeplan constata que reabertura de parte do comércio não alterou taxa de isolamento social no DF

Mesmo antes de reabertura, ocorrida no final de maio, a variação do índice de isolamento na capital estava e manteve-se em 30% e 40%; Codeplan consegue rastrear fluxo de pessoas nas ruas através do rastreio de celulares

Por Redação

O Boletim Covid-19 da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) divulgado nesta semana mostra que a reabertura de uma parte do comércio, como lojas, shoppings e outros centros comerciais, não impactaram de forma decisiva sobre a taxa de isolamento social. O boletim mostra que mesmo com funcionamento do comércio desde 25 de maio, os índices de isolamento social no Distrito Federal variaram entre 30% e 40%, níveis que já vigoravam antes da reabertura.

A Codeplan consegue acompanhar esses níveis porque a autarquia tem acesso ao rastreamento da localização de chips de celulares dos cidadãos. A medição da taxa de isolamento é feita por uma empresa, que tem convênio com o Governo do DF (GDF). “Até agora, o maior índice de isolamento – 48,8% – foi registrado no dia 21 deste mês, um domingo. Entre os dias úteis, a maior taxa foi registrada no dia 1º”, informa a Codeplan.

Esses dados devem embasar a decisão do governador Ibaneis Rocha (MDB) que recorrer da decisão da Justiça Federal que impede a reabertura de setores ainda fechados no Distrito Federal, como bares, restaurantes, salões de beleza e academias.

Cotas raciais

Estudantes que se declararem negros terão direito a uma cota de 20% em estágios oferecidos em órgãos públicos do Distrito Federal. Isto porque o governo local publicou no Diário Oficial desta quarta-feira, 24, um decreto que estabelece cotas para processos seletivos com três ou mais vagas. Como se trata de um decreto, na prática a decisão já está valendo.

“A diferença de oportunidades entre negros e não negros ainda é grande na sociedade. Com mais esse passo, esperamos contribuir para a qualificação e ingresso no mercado de trabalho dos nossos jovens negros, que enfrentam mais dificuldades que os demais estudantes no início da vida profissional”, disse ao falar sobre o decreto, a da secretária de Justiça e Cidadania do DF, Marcela Passamani.

Podem concorrer a essas vagas os estudantes que se autodeclararem pretos ou pardos no ato da inscrição para concorrer aos estágios, conforme o quesito cor ou raça utilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Fonte Blog do Ulhoa

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Most Popular

Governador sanciona lei de fomento ao artesanato

Os artesãos de Brasília amanheceram mais fortalecidos na sexta-feira (30). Foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) a Lei nº 6.924,...