25.5 C
Brasília
Home Brasília Saúde recebe doação de dez capacetes de respiração assistida

Saúde recebe doação de dez capacetes de respiração assistida

A Secretaria de Saúde recebeu, nesta quinta-feira (1º), a doação de dez capacetes de respiração assistida Elmo, que têm o objetivo de tratar pacientes da covid-19 em estado grave e evitar intubações. A doação foi feita pela Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra).

“É uma grande alegria poder receber esses capacetes. Tínhamos modelos similares no Hospital de Campanha do Mané Garrincha e eles ajudaram muitos pacientes. Com certeza, esses capacetes vão salvar muitas vidas. Ficamos muito felizes com essa doação”, agradece o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Acomodado ao pescoço do paciente, o Elmo permite ofertar oxigênio a uma pressão definida ao redor da face, sem necessidade de intubação. Dessa forma, a pessoa consegue respirar com auxílio da pressurização e da oferta de oxigênio

Ao utilizar um mecanismo de respiração artificial não invasivo, o Elmo foi fundamental para evitar a intubação de pacientes, reduzindo em 60% a necessidade de internações em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

“Estamos bastante felizes em poder realizar essa doação para a Secretaria de Saúde do DF, pois foi desenvolvido para evitar intubações e, consequentemente, o número de óbitos. Nos honra muito poder fazer essa entrega”, ressalta Jamal Jorge Bittar, presidente da Fibra.

Ele destaca que os capacetes foram criados no Ceará, por meio de uma parceria entre o Governo do Ceará, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Ceará), Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade de Fortaleza (Unifor), com o apoio do Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) e Esmaltec.

Funcionamento

Acomodado ao pescoço do paciente, o Elmo permite ofertar oxigênio a uma pressão definida ao redor da face, sem necessidade de intubação. Dessa forma, a pessoa consegue respirar com auxílio da pressurização e da oferta de oxigênio. O sistema possibilita, portanto, a melhora na respiração e pode ser utilizado fora de leitos de UTI.

O equipamento pode ser desinfectado e reutilizado. Outro benefício é o custo inferior em relação aos respiradores mecânicos e a maior segurança para os profissionais de saúde, já que, por ser vedado, não permite a proliferação de partículas de vírus.

Além disso, o equipamento será um legado da pandemia para a saúde e pode tratar outras enfermidades que comprometem o funcionamento dos pulmões, como pneumonia e H1N1. Se o Elmo era o nome do capacete que garantia a proteção dos guerreiros medievais, nos tempos atuais irá proteger e preservar a vida de pacientes na batalha contra a covid-19.

*Com informações da Secretaria de Saúde

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Most Popular

Eletrônicos doados a sete escolas da rede pública de ensino 

“Nossa intenção é promover o acesso a dispositivos e à conectividade nessas escolas” Raimundo Ribeiro, diretor-presidente da AdasaCom o objetivo de contribuir para...