- PUBLICIDADE -

1º de julho é o dia da Vacina BCG, que previne formas graves de tuberculose – Agência Brasília

Nesta quinta-feira (1º) comemora-se o Dia da Vacina BCG, considerada uma das mais importantes do país e crucial para prevenir formas graves de tuberculose. Preconizado no Brasil desde 1976, é recomendável que o imunizante seja aplicado em crianças de zero a menores de cinco anos.

A cobertura vacinal da BCG no Distrito Federal, entre janeiro e abril de 2021, foi de 95,7% | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Para salvar vidas, é necessário administrar a vacina em dose única o mais precocemente possível, preferencialmente nas primeiras 12 horas após o nascimento da criança, ainda na maternidade. No Distrito Federal, a rede pública de saúde oferece o imunizante por meio de agendamento. No site http://www.saude.df.gov.br/vacina é possível ver os dias, horários e unidades que aplicam a BCG. Nas maternidades, por sua vez, ela é aplicada assim que o recém-nascido chega ao mundo. A única contraindicação da vacina é que ela não pode ser aplicada em bebês com menos de 2kg.

“A BCG é uma vacina eficiente e eficaz e fornecida pela rede pública de saúde, sem restrições ou dificuldades para o público que precisa ser vacinado”Osnei Okumoto, secretário de Saúde

“Comemoramos a data de hoje por tudo o que a vacina BCG tem representado na saúde pública, desde que surgiu, para salvar vidas de crianças acometidas pela forma mais grave da tuberculose”, destaca o secretário de Saúde, Osnei Okumoto. Ele lembra que a rede pública do DF tem um atendimento eficaz e abrangente para beneficiar todos os recém-nascidos ainda na maternidade, ou por meio de agendamento pelo site da secretaria. “A BCG é uma vacina eficiente e eficaz e fornecida pela rede pública de saúde, sem restrições ou dificuldades para o público que precisa ser vacinado”, ressalta.

No Brasil, a vacina BCG é utilizada continuamente desde a terceira década do século XX e, inicialmente, foi usada por via oral até meados dos anos 1970, quando foi substituída pela intradérmica | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

História

“Desde quando os pesquisadores descobriram a vacina percebeu-se que as crianças morriam recém-nascidas com tuberculose. Elas nasciam e morriam das formas graves da doença. Com a BCG, não se vê mais óbitos por tuberculose e, aqui no Brasil, ela tem entrou na rotina de vacinações”, explica a enfermeira Fernanda Ledes, da Secretaria de Saúde.

A vacina BCG foi originalmente desenvolvida na França desde o início dos anos 1900 como uma vacina oral contra a tuberculose. No Brasil, ela é utilizada continuamente desde a terceira década do século XX e, inicialmente, foi usada por via oral até meados dos anos 1970, quando foi substituída pela intradérmica. “Atualmente, a BCG é uma vacina certificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e tem sido descrita como uma das mais imunogênicas e com menos efeitos adversos entre as BCGs”, acrescenta Fernanda Ledes.

Chamada de BCG Moreau RJ, ela é a única vacina brasileira certificada e usada como reagente de referência pela OMS. Segundo dados da Secretaria de Saúde, a cobertura vacinal da BCG no DF, entre janeiro e abril de 2021, foi de 95,7%.

Cuidados

É normal que a vacina forme uma cicatriz na criança, mas nem todas vão ter a cicatriz. Ela forma um caroço após ser aplicada e, com o passar do tempo, evolui. “Depois de um tempo vai formar uma ferida com pus, depois uma úlcera (ferida aberta) e entre seis e 12 semanas vai surgir a cicatriz. Esse é um processo natural e não deve ser utilizada medicação”, explica Fernanda Ledes.

Para a higiene da ferida é recomendável lavar somente com água e sabão e secar com cuidado, sem espremer ou utilizar curativos. “É a evolução natural e os casos fora da evolução natural devem voltar a uma UBS para o profissional avaliar”, complementa.

Histórico da vacina

1906: Início do desenvolvimento da vacina Bacilo Calmette Guérin (BCG) por Léon Charles Albert Calmette (1863–1933) e Jean-Marie Camille Guérin (1872–1961), no Instituto Pasteur, em Paris, a partir da obtenção de uma cepa atenuada do Mycobacterium bovis.

1921: Obtenção da vacina BCG por Albert Calmette e Camille Guérin no Instituto Pasteur, em Paris.

1927: Início da vacinação contra a tuberculose no Brasil com a vacina BCG, na Liga Brasileira contra a Tuberculose, produzida na própria Liga a partir da cepa Moreau.

1961: Início da produção, no Brasil, da vacina liofilizada contra a varíola e da fórmula intradérmica da vacina BCG.

1968: Substituição da vacina BCG oral pela administrada por via intradérmica (ID).

Fonte: Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Últimas

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Na Hora da Rodoviária recebe mutirão da Defensoria Pública da União

Por Fernanda Santos A agência do Na Hora, na rodoviária do Plano Piloto, vai estar aberta neste sábado (28), das 13h30 às 18h, para atender...

Saldo do Nota Legal poderá ser usado para pagar tributos vencidos

Por Fernanda Santos A Secretaria de Economia do Distrito Federal publicou, no Diário Oficial do DF (DODF), desta quinta-feira 26, o decreto que possibilita aos...

Programa de CNH gratuita encerra inscrições na quarta; saiba como participar

Por Fernanda Santos Os interessados em participar do programa Habilitação Social (CNH Social), que oferece CNH gratuitamente, precisam ficar atentos com a data final para...