- PUBLICIDADE -

Aumenta procura por serviços de assistência social no DF, aponta Secretaria de Desenvolvimento Social

Em razão da pandemia, da paralisação das atividades comerciais, muitas famílias tiveram que recorrer ao governo para poder sobreviver; a maior procura se deu por cestas básicas, mas há também auxílio aluguel, reforma de casas, e outros

Por Redação

Os reflexos da pandemia de covid-19 começam a ser percebido pela população de baixa renda do Distrito Federal. Dados da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) mostram que entre março e maio deste ano, a procurar por serviços de assistência social do governo aumentou 252% em comparação com o mesmo período do ano passado. Se nesses meses em 2019, 18.856 famílias solicitaram alguma ajuda da Secretaria, este ano este número saltou para 66.422, um crescimento de 371%.

Entre os serviços mais procurados está a solicitação de cestas básicas, mas há também outros serviços, como o Cartão Prato Cheio (auxílio que permite a transferência de crédito para aquisição de alimentos e de pão e leite; o valor do benefício é de R$ 250), e o outros que também são de cunho emergencial, ou seja, não são permanentes, como o Bolsa Família, por exemplo. Estes programas vão desde o pagamento de aluguel, da reconstrução de casa que sofreu acidente ou foi danificada por questões climáticas até à reforma de muro desabado com chuva, vento, e também no nascimento de crianças e em caso de morte, com o auxílio funeral.

A maior procura é por cestas básicas, entregues a famílias que estejam enfrentando dificuldades e insegurança alimentar

“Antes da pandemia, conseguíamos entregar as cestas emergenciais na casa das famílias em sete dias; com o aumento da demanda, esse prazo passou para 20, 40 dias”, explica Nathália Eliza de Freitas, a coordenadora de proteção básica da Sedes.

O Cartão Prato Cheio é um típico exemplo de auxílio criado justamente para atender às necessidades de famílias carentes durante a pandemia. O auxílio permite que família comprem produtos alimentícios em estabelecimentos credenciados, não é permitido fazer saque com o cartão. Essa proibição possivelmente garante o uso do auxílio para o consumo de alimento e também contribui para a economia local, já que o cartão pode ser usado em supermercados e padarias.

Como solicitar

Os serviços de assistência social do governo devem ser feitos por meio das unidades do Cras e do Creas. Como os serviços presenciais nas unidades estão suspensos, as solicitações devem ser feitas por meio de telefone (ver box abaixo). Todos os serviços dessas unidades estão sendo prestados via teleatendimento, tanto para os atendimentos iniciais quanto para o acompanhamento feito mensalmente pelos psicólogos e assistentes sociais.

DF Sem Miséria

O programa DF Sem Miséria libera hoje, 18, o saque do benefício. Cerca de 56.454 famílias em situação de vulnerabilidade social estão aptas a receber o auxílio.

Os saques devem ser realizados com o cartão do Bolsa Família ou Cartão Cidadão, preferencialmente, em caixas eletrônicos. Os beneficiários que não têm nenhum dos dois podem sacar nas agências da Caixa Econômica Federal, mediante apresentação de Carteira de Identidade (RG) e CPF originais.

Fonte Blog do Ulhoa

- PUBLICIDADE -

Últimas

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Alunos do Renova-DF fazem reparos no Shopping Popular de Ceilândia

Por Fernanda Santos As equipes do Renova-DF já estão executando serviços de reparo e reforma no Shopping Popular de Ceilândia. Segundo o instrutor-chefe do programa,...

Avenida Central de Taguatinga não será mais interditada neste sábado

Por Fernanda Santos A avenida central de Taguatinga não será interditada, conforme estava previsto para ocorre neste sábado (28). Segundo o Governo do DF (GDF),...

Na Hora da Rodoviária recebe mutirão da Defensoria Pública da União

Por Fernanda Santos A agência do Na Hora, na rodoviária do Plano Piloto, vai estar aberta neste sábado (28), das 13h30 às 18h, para atender...