- PUBLICIDADE -

Parcerias entre comunidade e governo são sucesso em Vicente Pires

Acesso para passagem do caminhão de lixo na rua 3 é construído após morador recuar muro. Em outro ponto, estacionamento foi financiado por empresários

A rua é estreita, tão estreita que só passa um carro pequeno de cada vez. Veículos grandes, como caminhão, por exemplo, não entram no local porque manobrar é impossível. De modo que os moradores da Chácara 69/70 da Colônia Agrícola Samambaia, um dos bairros de Vicente Pires, tinham problema com o descarte do lixo. O impasse foi resolvido por meio do diálogo e bom senso, já que uma das moradoras da região cedeu 100 metros da sua propriedade para o alargamento da via, colocando fim à demanda que já estava caducando.

“Outros gestores não deram atenção ao problema, o morador fica prejudicado já que o caminhão de lixo não passa aqui”, conta Gil Cardoso, coordenador de Desenvolvimento da Administração de Vicente Pires, também responsável pelos trabalhos de manutenção dos setores Colônia Agrícola Samambaia e Vila São José. “Conseguimos a autorização de uso desse trecho e ficou acordado que a administração limpasse a área que será ampliada e fizesse outra cerca para a moradora”, detalha.

Na próxima semana, máquinas da Novacap entrarão em ação para os trabalhos de terraplanagem e pavimentação dos 100 metros, trecho doado pela feirante

Há mais de 40 anos, a moradora da rua 3 do setor de Chácara 69/70 da Colônia Agrícola Samambaia, a feirante Rosa Lúcia Alves Macedo, 59 anos, estava insatisfeita com a situação do lixo. “Pelo menos vai acabar essa bagunça de colocar o lixo de qualquer jeito na rua”, completa.

Os serviços começaram com a limpeza da área. Na próxima semana, máquinas da Novacap entrarão em ação para os trabalhos de terraplanagem e pavimentação dos 100 metros, trecho doado pela feirante. O custo do projeto é de aproximadamente R$ 150 mil. A previsão de entrega dessa ação é de 30 dias. “Essa obra vai fazer uma grande diferença na qualidade de vida dos moradores da região, trazendo dignidade”, avalia o presidente da Novacap, Fernando Leite.

PPP com empresários

O comerciante Isaildo da Silva considerou proveitosa a parceria dos empresários com o Governo do Distrito Federal

O diálogo também norteou a construção de amplo estacionamento na Chácara 156, uma das áreas comerciais do Taguaparque. Graças à parceria público-privada realizada entre empresários da localidade, administração de Vicente Pires e Novacap, os últimos retoques da demanda foram finalizados com marcações de trânsito feitas no chão pelo Detran. O valor da empreitada ficou na casa dos R$ 60 mil.

“Fizemos um acordo com todos os comerciantes, eles bancaram o material, bloquetes, meio-fio, enfim, e nós entramos com as máquinas e mão de obra”Gil Cardoso, coordenador de Desenvolvimento da Administração de Vicente Pires

“Fizemos um acordo com todos os comerciantes, eles bancaram o material, bloquetes, meio-fio, enfim, e nós entramos com as máquinas e mão de obra”, detalha Gil, da RA de Vicente Pires. “Foi uma parceria proveitosa, melhorou bastante o lugar, os clientes reclamavam muito pela falta de um estacionamento aqui e, com a obra, deu mais conforto aos visitantes”, atesta Isaildo Manuel da Silva, 43 anos, proprietário de restaurante no setor.

Sinalizações horizontais

O  contorno que dá acesso a cinco vias diferentes dentro de Vicente Pires – trecho de ligação entre os setores Colônia Agrícola Samambaia, Vila São José e Taguaparque – ganhou sinalização horizontal. O serviço embelezou o lugar e organizou o trânsito. “O local estava virado de cabeça para baixo, mexemos em tudo porque acontecia muito acidente aqui por falta de sinalização”, observa o administrador de Vicente Pires, Daniel de Castro. “Com as obras trouxemos segurança para a população. Seguindo determinação do governador Ibaneis, estamos cuidando da cidade e dos moradores”, reforça o gestor.

Rotatória estratégica recebeu pintura e sinalização deixando o trânsito mais seguro e organizado

Os trabalhos de pintura das sinalizações horizontais reluzentes no asfalto, faixas amarelas que refletem com a luz dos faróis dos carros, foram executados pelo Detran-DF. A última fase da demanda foi concluída com a fixação dos tachões refletivos, conhecidos também como olho de gato. “Semana passada, o Detran mandou ver dentro da cidade e deixou esse presente para os moradores”, festeja o administrador Daniel de Castro.

Analista de Trânsito e Executora de Contrato de Sinalização do Detran-DF, Lúcia Bandeira explica que essas ações de renovação das faixas de trânsito e sinalizações horizontais são feitas em todas as regiões administrativas com frequência. Segundo ela, as marcas no asfalto têm vida útil. “Em Vicente Pires, a atuação do Detran continua ainda nas ruas 10, 7 e 3”, enumera a servidora.

Informações Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Últimas

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Na Hora da Rodoviária recebe mutirão da Defensoria Pública da União

Por Fernanda Santos A agência do Na Hora, na rodoviária do Plano Piloto, vai estar aberta neste sábado (28), das 13h30 às 18h, para atender...

Saldo do Nota Legal poderá ser usado para pagar tributos vencidos

Por Fernanda Santos A Secretaria de Economia do Distrito Federal publicou, no Diário Oficial do DF (DODF), desta quinta-feira 26, o decreto que possibilita aos...

Programa de CNH gratuita encerra inscrições na quarta; saiba como participar

Por Fernanda Santos Os interessados em participar do programa Habilitação Social (CNH Social), que oferece CNH gratuitamente, precisam ficar atentos com a data final para...