- PUBLICIDADE -

Ibaneis Rocha comemora aprovação do novo Refis

Programa deve injetar cerca de R$ 500 milhões na economia e beneficiar 78,4 mil pessoas jurídicas e 266 mil físicas; na prática, o programa vai permitir que seja feito refinanciamentos com desconto inclusive sobre o valor principal da dívida

O novo Programa de Incentivo à Regularização Fiscal (Refis) proposto pelo Governo do Distrito Federal (GDF) foi aprovado pelos deputados distritais nesta terça-feira (3). O novo Refis foi uma forma que o governo encontrou para arrecadar dinheiro aos cofres públicos. Agora com aprovação do programa, expectativa do GDF é de injetar cerca de R$ 500 milhões na economia. “Fico muito feliz com essa aprovação porque é algo que será bom para todos. Para o governo, que poderá recuperar o imposto devido; para a população, que terá benefícios em obras e ações sociais”, disse o governador do DF, Ibaneis Roch (MDB).

A Secretaria de Economia do DF espera que 78,4 mil pessoas jurídicas e 266 mil físicas adiram ao novo Refis. Na prática, o programa vai permitir que seja feito refinanciamentos com desconto inclusive sobre o valor principal da dívida – em outras edições, a redução atingia exclusivamente juros e multas.

“É algo que será bom para todos. Para o governo, que poderá recuperar o imposto devido; para a população, que terá benefícios em obras e ações sociais; e para os empresários e até pessoas físicas, que vão regularizar sua situação fiscal”, explica Ibaneis. Este foi o segundo projeto sobre financiamento de dívidas que o GDF envia à Câmara. Antes, o governo já tinha encaminhado matéria sobre o assunto, mas foi derrotado.

GDF pode recuperar até R$ 500 milhões com programa de regularização fiscal, que atinge mais de 78 mil pessoas jurídicas e 266 mil físicas

O texto do novo Refis foi aprovado em dois turnos, sendo que no segundo turno, ele teve aprovação por unanimidade, com exceção de uma ausência. Estabelecido como Projeto de Lei 58/2020, a matéria segue agora à sanção do governador. Sancionado, o Refis deve possibilitar o DF fechas as contas de 2020 dentro do programado, permitindo assim que empresas consigam emitir suas certidões negativas e, assim, mantenham seu funcionamento, retomem o crescimento econômico e gerem empregos.

“Será fundamental no enfrentamento dos efeitos da pandemia, especialmente para garantir a capacidade fiscal das empresas e permitir que o governo chegue ao fim do ano com mais equilíbrio e recursos para financiar políticas públicas”, avalia o secretário de Economia do DF, André Clemente.

Veja abaixo como Refis incentiva a regularização de débitos tributários e não tributários de competência do DF:

  1. Redução do valor principal do imposto atualizado nas seguintes proporções:
    a) 50% do seu valor para débitos inscritos em dívida ativa até 31 de dezembro de 2002;
    b) 40% do seu valor para débitos inscritos em dívida ativa entre 1° de janeiro de 2003 e 31 de dezembro de 2008;
    c) 30% do seu valor para débitos inscritos em dívida ativa entre 1° de janeiro de 2009 e 31 de dezembro de 2012.
  2. Redução de juros e multas, inclusive as de caráter moratório, nas seguintes proporções:
    a) 95% do seu valor, para pagamento à vista ou em até 5 parcelas;
    b) 90% do seu valor, para pagamento em 6 a 12 parcelas;
    c) 80% do seu valor, para pagamento em 13 a 24 parcelas;
    d) 70% do seu valor, para pagamento em 25 a 36 parcelas;
    e) 60% do seu valor, para pagamento em 37 a 48 parcelas;
    f) 55% do seu valor, para pagamento em 49 a 60 parcelas; e
    g) 50% do seu valor, para pagamento em 61 a 120 parcelas.

O Refis 2020 aplica-se aos débitos relativos ao:

⇒ Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias (ICM) e ao Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
⇒ Regime Tributário Simplificado do Distrito Federal (Simples Candango);
⇒ Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), inclusive o devido pelos profissionais autônomos e sociedades uniprofissionais de que tratam o artigo 90, parágrafos 1º e 3º, e o artigo 94 do Decreto-Lei nº 82, de 26 de dezembro de 1966;
⇒ Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU);
⇒ Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA);
⇒ Imposto sobre a Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis por Natureza ou Acessão Física e de Direitos Reais sobre Imóveis (ITBI);
⇒ Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis ou Doação de Bens e Direitos (ITCD);
⇒ Taxa de Limpeza Pública (TLP);
⇒ Débitos não-tributários, na forma do regulamento.

Fonte Blog do Ulhoa

- PUBLICIDADE -

Últimas

Programa de CNH gratuita encerra inscrições na quarta; saiba como participar

Por Fernanda Santos Os interessados em participar do programa Habilitação...

Fla recebe Sporting Cristal em último jogo da 1ª fase da Libertadores

O Maracanã recebe Flamengo x Sporting Cristal (Peru), nesta terça-feira...
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Rafael Prudente visita espaços públicos em Planaltina

O presidente da CLDF foi autor de emendas que permitiram a melhoria no CEF de Arapoanga, na retomada da construção da UPA do Vale...

Empresas do transporte público podem ter que colocar dispensadores de álcool em gel nos ônibus

Por Fernanda Santos A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou o projeto de lei 1.645/2020 que determina que os ônibus de transporte público coletivo precisarão...

Albergue em Planaltina, na região de Arapoanga, será transformado em Centro Educacional

Isso porque o Diário Oficial do DF publicou a autorização que permite a mudança da finalidade da obra para atender cerca de mil estudantes...