- PUBLICIDADE -

Cobertura de saúde bucal ultrapassa meta de atendimento

Iniciativa cria vínculos e abre oportunidades para que esses usuários busquem outros cuidados médicos

A família da autônoma Marta Passos, 44 anos, recebe assistência odontológica na Unidade Básica de Saúde (UBS) 4 de Sobradinho II. Este ano, dois novos integrantes da família de Marta passaram a fazer uso dos serviços de forma mais frequente. Assim como eles, mais pessoas tiveram acesso à assistência odontológica em 2019.

É o que mostram os indicadores da cobertura de saúde bucal da Atenção Primária. Das sete regiões de saúde, quatro já ultrapassaram a meta anual de ampliação de cobertura. A Região de Saúde Norte, por exemplo, aumentou em 50% a cobertura de saúde bucal, quando a meta era de ampliar em 43%.

Foto: Breno Esaki/Secretaria de Saúde

“As metas de ampliação da cobertura de saúde bucal na Atenção Primária, buscaram aumentar e qualificar o acesso dos usuários aos cuidados que envolvem a saúde bucal. Ampliando o número de pessoas com acesso ao serviço, abrem-se oportunidades para que esses usuários busquem outros cuidados de saúde, favorecendo à melhora da qualidade de vida”, destaca o gerente de Odontologia da Secretaria de Saúde, Maurício Bartelle.

São cinco os filhos da autônoma Marta que fazem tratamento de saúde bucal na unidade. Porém, o Enzo (2)  e a Vanessa (24), começaram este ano seus acompanhamentos de cuidados odonto​lógicos. Há um diferencial nos cuidados da Vanessa Passos, que é uma paciente acamada e recebe assistência em casa.

Atendimento em casa
A visita domiciliar faz parte da rotina de trabalho da cirurgiã dentista da Unidade, Kátia Soraia do Espírito Santo. A profissional já é visita constante na casa de Vanessa. A frequência das visitas foi estabelecida após um primeiro atendimento, onde foram avaliados os cuidados preventivos para a promoção da saúde bucal da paciente.

“O atendimento é excelente e é muito importante na nossa vida. A profissional é maravilhosa, cuida de toda a família e nos ajuda muito. Sempre que precisamos, ela vem aqui e atende a Vanessa com muito cuidado”, ressalta a mãe da paciente, Marta.

A cirurgiã-dentista Kátia destaca a importância do aumento da cobertura de atendimento e da satisfação do acolhimento mais próximo da comunidade.

A cirurgiã-dentista Kátia: acolhimento – Foto: Breno Esaki/Secretaria de Saúde

“O aumento da cobertura favorece um maior número de usuários com acesso aos serviços de Odontologia – porta de entrada de pacientes para os cuidados com a saúde de forma geral”, reforça Kátia. “O atendimento próximo à comunidade é extremamente gratificante. Além de conhecer a realidade do território, conseguimos estabelecer um vínculo com toda a família e oferecer um tratamento integral.”

Para cada região, há uma cobertura de saúde bucal na Atenção Primária já estabelecida e, a partir daí, determinam-se as ampliações da cobertura assistencial de tratamento. O estabelecimento das metas de qualidade tem o intuito de melhorar o atendimento do Serviço Único de Saúde (SUS).

O gerente da Odontologia afirma que a melhoria da cobertura se deve a três processos: a organização das atividades de trabalho, deixando clara a vinculação entre as equipes de saúde bucal e as Equipes de Saúde da Família; as movimentações necessárias de profissionais de uma UBS para outra; e a ampliação da carga horária, realizada pela Secretaria de Saúde.

Avanços
Além das metas, o serviço de saúde bucal mostra outros avanços. No âmbito das especialidades odontológicas, a Secretaria promoveu a regulação do acesso em todas as regiões de saúde, gerando uma maior organização e transparência dos serviços odontológicos especializados.

No médio prazo, essa ação promoverá um acesso mais rápido e resolutivo às especialidades odontológicas. Foram realizadas capacitações, como cursos de atendimento odontopediátrico e à pessoa com deficiência na Atenção Primária.

Nos próximos meses, será iniciado o serviço de prótese dentária na Atenção Primária à Saúde, tornando o acesso a este serviço mais fácil, difundido e presente.

Ainda será realizado um levantamento das doenças bucais mais comuns na população do Distrito Federal, direcionando o planejamento dos recursos para as áreas que tenham maiores necessidades.

Também está previsto, até o fim desta gestão, a construção de três novos centros de especialidades odontológicas no DF em Brazlândia, Recanto das Emas e São Sebastião.

Metas das regiões
As outras regiões de saúde que já ultrapassaram a meta anual de ampliação de cobertura são: a Região Central, que tinha o objetivo de ampliar em 16% o atendimento e já aumentou em 17%; a Oeste ampliou em 36%, quando a metaera 35%; na Região Sudoeste, a meta, que era de 32%, já aumentou em 43%. As que ainda não atingiram os objetivos continuam trabalhando nesse processo, com tendência de cumprimento da ampliação da cobertura.

Com informações da Secretaria de Saúde/DF

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -

Mais Lidas

- PUBLICIDADE -